Pedir perdão é o suficiente?

A empatia em favor da reconciliação

Você já procurou alguém para pedir perdão e disse “eu estava errado”, achando que ficaria tudo bem e estava resolvido o problema? Ué, mas você admitiu que estava errado, isso não seria o suficiente? Nem sempre.

Na maioria das vezes precisamos expressar nossa tristeza. Vou tentar explicar. A combinação do admitir o erro e o sentimento de tristeza leva as pessoas a notarem a sua sinceridade. Ao expressar nossa tristeza, podemos desenvolver empatia pelo outro. Empatia significa “ver a questão com base na perspectiva da outra pessoa”. Resumindo, é o que nós conhecemos como “se colocar no lugar do outro”. Isso é algo muito importante, pois constrói pontes e nos ajuda a restaurar nossos relacionamentos.

Você pode até estar meio confuso quanto a isso mas veja o que Paulo diz a respeito:

“Agora, porém, me alegro, não porque vocês foram entristecidos, mas porque a tristeza os levou ao arrependimento. Pois vocês se entristeceram como Deus desejava, e de forma alguma foram prejudicados por nossa causa. A tristeza segundo Deus não produz remorso, mas sim um arrependimento que leva à salvação, e a tristeza segundo o mundo produz morte.” (2 Co 7:9-10)

Olha só o que Paulo disse! Se nos entristecemos a ponto de chegar ao arrependimento, isso é algo saudável que leva à cura nos nossos relacionamentos, tanto com os outros como com Deus. Tentar se comunicar com empatia permite que a outra parte se sinta ouvida. A empatia também derruba qualquer barreira que tenha se erguido entre duas pessoas. A empatia desarma qualquer pessoa magoada, permitindo que a comunicação seja possível e o relacionamento seja restaurado.

Fiquem com música maravilhosa de Danny Distler: A canção do perdão.

“É preciso passar pelo vale das lágrimas, pra aprender a pedir e dar perdão”. (Danny Distler)

Posts relacionados

Comentários