Acorde! Ainda dá tempo.

A grande maioria da igreja brasileira não assume,
mas pensa que Deus é uma religião praticada.

Um dia eu acordei. Não sei bem como ou quando aconteceu, mas o sono era profundo e eu despertei. Acordei, mas com vontade de gritar para quem dorme.

Tempos atrás, vivia correndo atrás de templos ou pessoas que venderam uma religião falsificada travestida de felicidade. Uma falsificação muito semelhante com a Palavra fiel, mas que era uma mentira enrustida. O evangelho com uma mensagem trocada, onde quem a experimentava jamais ficava doente, jamais ficava pobre e jamais tinha seus desejos e vontades negados por Deus. Vendiam uma “experiência” íntima com Deus que não passava de lavagem cerebral e treinamento psíquico. Participei de reuniões onde saía de lá pensando que agora “as coisas vão melhorar”, mas era apenas um encantamento temporário. Corria essa corrida como se pudesse chegar até Deus por meu próprio esforço.

Participei de círculos de oração durante madrugadas inteiras, pensando que Deus ia ver a quantidade de tempo e não a intimidade do meu coração. Já pensei que se eu fizesse somente o bem, Deus esqueceria os meus pecados. Já dei dízimo com pavor de que se assim não fizesse eu perderia meu emprego. Já apaguei músicas “do mundo” do meu computador com medo de que Deus não me abençoasse. Já desisti de ir a lugares na companhia de amigos que não frequentavam a igreja por pensar que só podia ter amigos cristãos. Já deixei de participar de festas porque pensava que Deus ia ficar irado porque tinha bebida alcoólica lá.

Caí nas garras da religião como quem procurava um alívio para a consciência ferida. Saía dos cultos com um grande sorriso, mas me sentindo culpado por não ser quem eles queriam que eu fosse. Cumprimentava todos simpaticamente na saída, mas tinha medo de errar durante a semana e ir para inferno. E quando eu fazia algo bom publicamente, queria que Ele me recompensasse e que os outros reconhecessem.

Sei que para muita gente isso não pode ser verdade e que para muita gente isso é só um exagero. Mas, acredite, a grande maioria da igreja evangélica brasileira não assume, mas pensa que Deus é uma religião praticada. Tenho me deparado, na caminhada, com muita gente neste estado. Todas as semanas tenho encontrado gente que não sabe mais o que fazer para sair dessa prisão e outros que não percebem suas algemas. Os muros da religião são invisíveis, mas são muito grandes.

Alguns de nós, foram libertos da religiosidade, mas não conseguem se livrar dos líderes inescrupulosos ou das suas comunidades sufocadoras. Hoje, eu gostaria de convocar as pessoas que estão passando por essa crise – gente que não se encaixa mais no seu sistema opressor de igreja, gente que não aguenta mais se calar diante de gente que prega mensagens restritamente motivacionais e que nunca prega a cruz e seu martírio, gente que não aguenta mais passar por humilhações de líderes autoritários, entre outros que tem se sentido incomodado com o evangelho mesquinho da média evangélica – a proclamar o verdadeiro evangelho. Aquele que se reflete na figura de Cristo e não da religião. O evangelho que não tem méritos, que não sobra nada para nós, mas se doa ao outro. O evangelho de gente que reconheceu seu fracasso no mundo para vivenciar o Reino de Deus. O evangelho de quem não tem nada para oferecer, mas que oferece como gratidão de ser um com Deus. O evangelho que não admite que uns tenham muito mais que os outros. Um evangelho que toca em gente porque ama e não porque é membro de um ministério específico. Um evangelho que não é apenas uma filosofia de vida, mas que dá a vida por causa da proclamação da obra de Cristo.

Tem gente ficando rico usando o nome de Cristo. Tem gente usando da sua “autoridade” para extorquir pessoas simples. Tem gente que está se esquecendo de falar da Cruz para falar da sua visão particular. Tem gente que tá transformando a igreja de Cristo em um mercado da fé. Tem gente que tá usando e abusando dos filhos de Deus porque simplesmente não conhecem as escrituras. Tem gente que está defendendo pessoas que não são de Cristo em troca de um cargo na comunidade. A gente precisa acordar! A gente precisa reagir! A gente que tem combater com a verdadeira mensagem de Cristo!

Se você está em crise e quer se livrar do evangelho fora de Cristo, peça para Ele se revelar em você. Comunique-se. Nós vamos orar pela sua vida. Que o Senhor seja a expressão da nossa vida. E que o Evangelho não seja uma teoria, mas uma verdade dentro de nós.

Murillo Leal é jornalista e escreve também no blog Crerpensando.
Contato: mumaleal@gmail.com http://about.me/lealmurillo