A alegria vem pela manhã

Sou uma pessoa diurna, definitivamente eu adoro acordar cedo e olhar o sol pela janela, isso me dá a sensação de felicidade. Já pulo da cama super falante e cheia de idéias. Acordar cedo me dá a impressão de aproveitar melhor o dia, já que eu também durmo cedo.

Sei que existem pessoas noturnas, elas trocam tranquilamente o dia pela noite e se sentem bem com isso, mas eu não sou assim. Existe algo na noite que me assusta, que não me deixa a vontade e que me faz pensar que o lugar mais seguro para estar na ausência do sol é no aconchego de minha cama. Por isso mesmo que o dia é todo meu.

Há alguns dia fiquei muito doente durante a madrugada, sinceramente não sei se estava pior pela dor que sentia ou pela angustia de ter adoecido durante a noite. Esperei muito até o limite do insuportável para decidir sair de casa e ir ao médico, eu queria muito esperar o amanhecer para poder ir pro hospital, não queria preocupar ninguém como meu estado, mas também não queria ficar sozinha, eu não sei por que, mas estava com muito medo e me sentindo bastante nervosa, acho que nunca passei uma noite tão longa na minha vida, nem esperei com tanta ansiedade a manhã chegar.

Nessas horas angustiantes, eu fiz uma das minhas perguntas favoritas quando estou passando por alguma dificuldade:

“porque não podemos estar bem o tempo todo? Por que logo após um momento de alegria e tranqüilidade plena preciso passar por uma situação difícil”.

Ah sim, eu havia passado um dia maravilhoso. E não, não estava nenhum pouco a vontade com minha situação atual. Mentalmente comecei a rever minha trajetória pra tentar entender a razão de uma forte dor no estomago que estava sentindo, afinal de contas eu havia sido uma boa menina, tinha me alimentado a cada três horas, bebido bastante água, evitado refrigerantes e frituras, não era justo que minha gastrite resolvesse me castigar de repente.

Essas reflexões me fizeram lembrar do conto, O Peru (Flannery O Connor), que li no livro de Brennan Manning, “O Impostor que vive em mim”.

Basicamente a idéia errônea do anti herói citado por Manning, era: “Se tudo está bem, eu estou feliz e sou uma pessoa boa, é porque Deus tem cuidado de mim e me abençoado, por outro lado se algo vai mal e estou triste, devo ter feito algo muito ruim e Deus está me castigando”. Essa é uma idéia completamente equivocada, que leva as pessoas à por em dúvida a graça de Deus. Então vamos parar de uma vez com a tentativa inútil de comprar bênçãos e uma vida fácil com uma oferta do tipo toma lá, da cá, “eu sou boazinha, Deus será bonzinho”, as coisas não funcionam assim, também é inútil ficar proferindo “palavras mágicas”, também não dá certo.

Vamos então a algo que realmente funciona.

Primeiro, ter em mente a certeza de que a “nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente.” (2 Coríntios 4.17.)

Saber que Deus não nos prometeu uma vida livre de problemas, mas sim que mesmo com eles, não devemos desanimar, por isso: “…no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo” (João 16.33).
Parar de focar nossa aflição também nos leva a priorizar o que realmente importa: “Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça” (Mateus 6.33), e por fim e mais relacionado, a minha experiência particular, saber que em breve irá amanhecer. Cheguei a essas conclusões enquanto me contorcia de dor e orava para ver os primeiros raios de sol. A noite realmente abriga nossos medos, nossos fantasmas, algumas das coisas que tememos, e alguns dos momentos mais difíceis pelos quais passamos. Noite reflete solidão, todos dormem menos você, noite reflete medo, coisas ruins que batem nossa porta mesmo sem merecermos. A noite tudo parece mais assustador, a dor parece que é ampliada, a ansiedade, o medo. E em meio a tanta incerteza a única convicção que temos a respeito da noite, é que um novo dia irá raiar.

Aos boêmios, compreendam minha metáfora.
A noite não precisa ser física, ela pode apenas ser representada por uma situação difícil, isso é natural, isso é humano, nem sempre receberemos apenas os raios de sol, a noite sempre chega em determinado momento, as vezes temos a impressão que ela é interminável, até porque nossos sentimentos negativos são supervalorizados quando só vemos escuridão. Deus não vai nos livrar das noites escuras por sermos cristãos, por sermos bonzinhos ou porque seguimos todas as regras, mas ele nos garante que irá amanhecer e com ele nossa alegria de novo. Mas enquanto não amanhece, mesmo que não consigamos enxergar nada a nossa frente, mantenhamos nossos olhos fixos em Cristo. Pois a sua luz irá nos guiar em meio à escuridão dos medos e incertezas e nos dará a confiança que necessitamos enquanto o amanhã não chegar.

Posts relacionados

Comentários