Como ser um Cristão bem melhor que a maioria

É claro que não encontrará aqui nessas linhas um guia definitivo e infalível sobre comportamento cristão que te fará ser considerado uma espécie de melhor cristão diante de Deus. Deus não tem dessas coisas.

Quando digo ser um cristão melhor, não pretendo promover uma espécie de sistemas de castas que dividem os cristãos em superiores e inferiores, melhores e piores. O cristianismo não permite esse tipo de insinuação.

O que quero dizer com cristão melhor? Bem, para começar, é elementar saber que nem todos que assumiram o governo de Cristo em suas vidas têm a ver com a baboseira evangélica que encontramos nos corredores do mundo gospel. Ponto.

Diante dessa confusão, para ser um cristão melhor que a maioria e não ser taxado como alguém lunático que não enxerga um palmo ao seu lado, eis que trago algumas recomendações:

Prefira os modelos de fé simples, mas profundas.

Escolha caminhar com uma igreja que ande sempre desarmada para seus irmãos e completamente preparada para combater as grandes incoerências da vida cristã. Cristãos que andam sempre avançando contra tudo e todos são sempre sujeitos que nos empurram para a arrogância religiosa e nos fazem acreditar que somos os únicos no mundo capazes de interpretar e conhecer a Deus.

Não ande em companhia de pessoas que sempre exalam sua precisão intelectual sem que antes abra o seu coração como um humano falho, não siga pessoas que se levem muito a sério em conversas fiadas de botequim. Por outro lado, não negligencie aqueles que o invocam a uma intimidade profunda com o Senhor, que optam por seguir a Cristo e recorre-lo antes de qualquer opção pessoa.

Duvide. De si, da sua fé, da sua igreja, sempre que precisar.

Todo aquele que sente-se forte demais, mesmo depois de constatar a sua limitação, tende a uma pretensão messiânica diabólica cheia de hipérboles. Igreja que não se preocupa com a salvação dos perdidos já deixou o seu propósito. Toda igreja precisa ser um sinal nítido de Deus na Terra.

A pressa no crescimento numérico deve ser mantida sobre lentes bem fixas. A busca pelo reconhecimento que gera competição entre os grupos, membros e ministérios merecem desprezo total.

Trate com desdém aqueles que exigem que passe muito mais tempo no prédio da igreja do que em família, aqueles que vivem promovendo curas milagrosas, soluções infinitas e definitivas contra os pecados da carne, que confundem graça com cheque em branco assinado com o sangue de Jesus, que pregam a lei como a finalidade de salvação, que apague qualquer dúvida legítima com um versículo mal explicado, que use a sua autoridade como argumento para te fazer calar. Duvide sempre que tudo isso acontecer.

Sempre duvide daqueles que exalam ar de piedade que não seja naturalmente percebida.

Desde que me percebo cristão lidou com gente que diariamente simula ter uma espiritualidade que não corresponde a uma verdade existencial. Não nos deixemos enganar pelos sujeitos que se consideram pessoas especiais diante dos demais. Era isso que Jesus queria nos ensinar durante a maioria dos seus relatos e histórias.

Quanto mais espiritual o sujeito queira parecer, mais profunda é a lama de pecado que ele se encontra. Jesus deixava a sua santidade mostrar quem ele era e foi reconhecido assim porque as suas palavras eram totalmente condizentes com as práticas de vida. Eis algo que aponta para a santidade perceptível.

Prefira uma espiritualidade sem exibicionismo.

Toda vez que alguém precisar tocar trombetas para ser notado, Jesus não pode estar ali. Não use de publicidade para alcançar cargos almejados, não seja econômico em conhecer-se, não se faça presente na jogada dos que adoram se gabar, escolha os discretos e vivos.

Viva longe dos dissimulados que fingem nunca vacilar, que sempre estão dispostos a poupar-se sobre o pescoço de outro, que separam vida espiritual de vida prática, que usam do seu poder econômico como máscara para manipular e controlar. Nunca aceite uma competição por qualquer coisa.

Não use seus dons para crescer em postos. Ria na cara dos santíssimos como quem percebe seus defeitos mais ocultos. Nunca ofereça seu lombo em nome Daquele que ofereceu seu corpo na cruz de uma vez por todas.

Procure Deus, encontre-o nos irmãos.

No mais, procure Deus mesmo em meio ao pecado intragável, tenha segredos com Ele. Faça sempre questão de estar com os vulneráveis, os gratos, os sepulcros abertos, os alegres, os desprezados, os famintos de sabedoria, os que desafinam durante uma canção, aqueles que não tem direito a honraria alguma.

Beba seu vinho como quem tem liberdade, como seu pão pedindo que o Senhor dê aos que necessitam, ame seu companheiro como Deus amou a igreja, seja sempre um aprendiz da Palavra, ouça mais pregações como se fosse a primeira vez, seja ousado no testemunho. Ande de mãos dadas com a singeleza do Cristo.