Da perseguição à felicidade

perse

Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o Reino dos céus. [Mt 5.10]

Esta bem-aventurança nada mais é do que a consequência da genuína vivência da fé cristã, tal como foi exposta por Jesus no Sermão do Monte do verso terceiro ao nono. Se você vive o cristianismo de verdade, nem todos vão gostar de você, você sofrerá perseguições. Foi assim em todo o período da história que compreende as Sagradas Escrituras. Foi assim em toda a história da Igreja, e não será diferente conosco aqui, agora, no século XXI. Contudo, a esperança é que: bem-aventurados são os perseguidos! Devemos considerar-nos privilegiados por padecermos perseguição por causa da justiça de Deus, pois, para nós está reservado o Reino dos céus.

É importante notar que tanto a primeira como a última bem-aventurança têm como recompensa o Reino dos céus. Isso significa basicamente duas coisas: a primeira é que o que há de mais importante na vida é herdar o Reino dos céus. Não há tesouro maior, não há recompensa mais bela e plena do que ser membro do Reino dos céus. A segunda é que Jesus novamente quer deixar muito claro para o povo judeu, que aguardava um Messias militarista, nacionalista e materialista, que Seu Reino não é deste mundo, ou seja, não comunga dos valores desse sistema falido e imundo que aí está.

Os perseguidos tratados nessa bem-aventurança não são os perseguidos por serem pessoas de difícil trato, que são vingativas, egoístas, arrogantes ou impetuosas. A bem-aventurança não diz: ‘bem-aventurados os perseguidos’, mas: ‘bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça’, e isso faz toda diferença. Bem-aventurado é aquele perseguido por obedecer a Deus, por cumprir seus preceitos, por não abrir mão da santidade. Bem-aventurado é aquele que tem fome e sede da justiça de Deus, que anseia por honrar e ser cada vez mais parecido com Jesus diante de si mesmo e dos homens, independentemente do que estes venham a pensar e fazer. Não são bem-aventurados os perseguidos por estarem fazendo algo errado. Não são bem-aventurados os perseguidos por serem tolos e insensatos no lidar com o próximo. Não são bem-aventurados os que são louvados por praticarem a justiça. Os bem-aventurados são os perseguidos por causa da justiça, pois a justiça do Reino desperta a fúria do mundo, que é inimigo de Deus e do povo de Deus. Vejamos o que diz Jesus no evangelho de João no capítulo 15.18-20:

perse2

“Se o mundo os odeia, tenham em mente que antes me odiou. Se vocês pertencessem ao mundo, ele os amaria como se fossem dele. Todavia, vocês não são do mundo, mas eu os escolhi, tirando-os do mundo; por isso o mundo os odeia. Lembrem-se das palavras que eu disse: Nenhum escravo é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês. Se obedeceram à minha palavra, também obedecerão à de vocês.”

Você está sofrendo perseguições? Veja o que diz apóstolo Paulo em II Tm 3.12:

“De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos.”

Não nos enganemos achando que o serviço a Jesus trará louvores e honrarias desse mundo para nós. A Escritura Sagrada é muito clara em relação ao que o mundo faz com quem segue a justiça do Reino. O que fizeram a Jesus? Preferiram libertar do cárcere um homicida confesso de nome Barrabás a soltar o Homem de Dores da Galileia. Perseguiram-no, cuspiram em Sua fronte, buscaram apedrejá-lo, criticaram-no, crucificaram-no como maldito, por fim, mataram-no, contudo, mal sabiam eles que a morte não poderia contê-lo. Essa é vida do cristão peregrino nesta terra. Foi São Francisco de Assis que disse: “É morrendo que se vive para a vida eterna”. Essa será sempre uma realidade para o cristão enquanto ele ainda estiver no mundo.

Muitas vezes as perseguições virão não somente dos que estão fora do círculo religioso, mas também dos que estão dentro da Igreja. Percebam que o principal impasse de Jesus ao longo de seu ministério era com os principais membros da religião judaica. É bem possível que, na sua busca por justiça e santidade diante de Deus, quem mais vai te puxar para baixo e te desanimar na caminhada são aqueles que se dizem da religião. Portanto, não ceda, não deixe de lutar e não dê ouvidos aqueles que não querem compromisso profundo com a justiça do Reino. O justo é perseguido porque é diferente das outras pessoas. Esse era o motivo pelo qual os fariseus odiavam a Jesus. Havia algo em Jesus que fazia com que eles se sentissem condenados. Havia algo em Jesus que fazia com que a retidão deles parecesse mesquinha e fosse reduzida a nada.

Se o mundo aplaude Jesus, é porque não O conhece verdadeiramente. Jesus é Senhor e Juiz. Não há como falar sobre amar a Jesus sem que Jesus seja o caminho, a verdade e a vida. Isso é incoerente, é um engano, é mentira. Com Jesus ou é tudo, ou é nada. Ou Jesus é o parâmetro para toda nossa existência ou Ele simplesmente é uma grande fraude. Aqueles que não são leais a Ele e não O confessam no mundo tal como Ele se apresenta, ou seja, Senhor sobre todas as coisas, já estão condenados a pagar o salário do pecado por toda eternidade.

perse3

Portanto, lembremo-nos sempre de que o cristão é alguém de quem nem todos irão gostar, pois, ‘o pendor da carne é inimizade contra Deus’ como diz o apóstolo. O mundo odeia Deus e odiará também aqueles que servem a causa da justiça do Reino de Deus. Estejamos, pois, preparados, certos de que melhor coisa é sofrer por causa da justiça, pois a nós está reservada a maior recompensa de todas: a vida eterna ao lado do Cristo Bendito, redentor do mundo e de todos os nossos pecados. Que Deus avive em nós, todos os dias essa esperança, que venhamos a viver por fé e não por vista, que crucifiquemos todos os dias o nosso eu e que a causa primaz de toda a nossa vida seja trazer glórias e honras ao Filho do Amor que se entregou em completa e eterna abnegação no nosso lugar.

Que Deus nos alcance!