Leve-me até Cristo

O chamado é para sermos essa ponte
entre as pessoas e Cristo

Hoje nós vamos falar de um cara chamado André, que com atitudes muito simples (que quase passam despercebidas até) nos ensinam que devemos transformar em prioridade o ato de direcionar as pessoas a Cristo. A Bíblia não diz se André se tornou um grande evangelista ou algo do tipo. Sabemos apenas o que lemos, que em diversas passagens o vemos levando pessoas a Cristo.

André era irmão de Pedro, ganhava a vida como pescador. Ele era discípulo de João Batista antes de seguir a Jesus. Certo dia João, seu mentor, apontou pra Jesus e disse que aquele era “o cara”, o cordeiro de Deus. André acreditou nele e começou a seguir o Mestre imediatamente. Depois disso, foi para casa e tratou logo de dizer a seu irmão: “Achamos o Messias” (Jo 1:41). Pouco tempo depois eles já faziam parte do grupo de discipulado de Cristo.

Em outra vez que André é citado, o vemos levando um garoto até Jesus. Estava Jesus e com ele uma grande multidão. As pessoas o seguiam na esperança de que recebessem alimento tanto espiritual quanto físico. Os discípulos começaram a se preocupar, pois não sabiam como alimentar aquela multidão. André escuta uma conversa entre Felipe e Jesus e diz: “Eu trouxe aqui um garoto com cinco pães de cevada e dois peixinhos”. Foi exatamente o que Jesus usou pra alimentar 5 mil homens famintos, sem contar mulheres e crianças.

Logo depois, alguns estrangeiros que estavam em Jerusalém para Páscoa se aproximaram de Felipe pedindo que ele os levasse até Jesus, porque queriam vê-lo. Felipe correu até André e ele os levou até Jesus. Parece que isso era natural pra ele: levar as pessoas até Cristo. Por onde ele passava procurava direcionar as pessoas até Jesus, para que pudessem ver com seus próprios olhos a Sua glória.

Não temos registros de André pregando um sermão poderoso (apesar de que ele provavelmente tenha feito isso) ou que em um desses sermões multidões se converteram. Vemos ele levando pessoas até o Mestre e acredito que isso não ficou marcado a toa.

O chamado é para sermos essa ponte entre as pessoas e Cristo. Já imaginou se soubesse que nossos amigos, familiares, professores, colegas, o cara do ponto de ônibus, o tiozinho da padaria estão próximos de nós apenas com o único propósito: De que saibam quem eles são em Cristo? E se percebêssemos que só estamos onde estamos porque temos de ser Cristo onde o próprio nunca passou?  Hoje é tempo de lembrarmos que Cristo é tudo em todos!  Sejamos como André!

Posts relacionados

Comentários