Na mente e no coração (Por uma fé racional)

O que vou fazer, então? Vou orar com o meu espírito, mas também vou orar com a minha inteligência; vou cantar com meu espírito, mas também vou cantar com a minha inteligência.” (I Coríntios 14:15, NTLH)

Quantas vezes não nos emocionamos durante o louvor, com as luzes, a música, o clima e tudo o que acontece nesse momento especial do culto? O problema é quando logo em seguida, no momento da pregação, o ápice do culto, nos cansamos facilmente, nos distraímos, não sentimos Deus nos tocar.

A música é mais uma forma de transmitir a Palavra, de forma simples e de fácil assimilação. A pregação, a aula da EBD, o devocional, algumas vezes mais densos, nos ajudam a se aprofundar no conhecimento de Deus revelado como Verbo. Ambos os momentos são importantes e tem um só objetivo: nos ensinar mais sobre nosso Pai. Um pai que se revela de diferentes formas, em diferentes momentos para falar conosco por completo.

Um cristão maduro aprende a equilibrar-se entre a razão e a emoção, tendo o Senhor como seu suporte firme.

Uma pessoa que vive de acordo com o que a Bíblia diz demonstra sentimentos através da prática, não apenas de palavras, mas de ações. Essa é a importância do equilíbrio entre a razão e a emoção, entre a nossa mente e nosso coração.

Devemos ter um coração quebrantado para ao ouvir a grandeza que há na Palavra de Deus e sermos sempre profundamente tocados e nos emocionarmos. Que ouvi-la, lê-la, estudá-la seja sempre algo especial e precioso para nós. As escrituras devem nos sensibilizar. Assim, como devemos ter sempre consciência sobre o que cantamos, sabendo que nesses momentos estamos declarando com nossas bocas verdades para nossas vidas e por isso, é fundamental racionalizar também esse momento que nos comove.

“Deus fala à minha mente mas isso causa intensa emoção.” (Leonardo Gonçalves)

Em Hebreus 11, vemos a fé ser definida como certeza e prova que vem ao ouvir a Palavra de Deus. A veracidade da Bíblia deve ser suficiente para nos dar confiança e convicção de que mesmo não entendendo completamente o mundo natural, espiritual e tantas outras coisas que escapam do nosso entendimento, o que Deus diz é vivo e eficaz, atual e imutável. Na estabilidade e infabilidade dela deve estar nossa segurança.

Uma fé racionalmente fundamentada não oscila entre as variações de humor, de cirscuntâncias, mas está baseada na Palavra de Deus, agindo de acordo com elaa e isso preenche nosso coração a ponto de fazê-lo vibrar . Essa fé que não precisa nos fazer sentir algo para se tornar real, mas nos dá a convicção de que Deus está ao nosso lado, porque Ele prometeu isso.

Que Deus encha seu coração de fé para que você mantenha seus pés firmes em direção ao Alvo.

Para edificar a mente e o coração: