O carpinteiro que apontava para Deus

Jesus iniciou seu ministério logo após ser batizado por João Batista e, dentre aqueles que iam até João para ser batizado, ele escolheu dois para serem seus discípulos, André e Pedro, e logo depois saiu em busca dos demais.

Jesus era um homem comum, conhecido apenas em sua cidade como filho de Maria e José, um carpinteiro, que ensinou o ofício para o filho. O Jesus que conhecemos hoje ainda era um anônimo entre vários Jesus e vários pseudomessias que surgiam naquela época. Ninguém o conhecia, ninguém sabia que ele era Deus, exceto duas pessoas, João Batista e Maria, sua mãe.

André e Pedro o seguiram, porque acreditavam nas palavras de João as quais testificavam a respeito de Jesus. Felipe seguiu Jesus porque acreditava em André e Pedro. Natanael foi o quarto a ser chamado, e o primeiro a duvidar da divindade de Cristo. Para Natanael era estranho que aquele homem fosse o messias, pois de Nazaré seria impossível sair algo de bom. Jesus então fala a respeito dele sem o conhecê-lo, Jesus fala que o viu sentado debaixo de uma figueira antes de Felipe chegar. Natanael reconhece ali a onipresença de Deus em Jesus e crer que ele é Deus.

Logo depois, o desconhecido Jesus é convidado para uma festa de casamento. Esse convite foi feito não porque o noivo queria Deus presente, mas porque ele queria o carpinteiro presente, que sem dúvida alguma era amigo da família. No meio da festa, o vinho acabou e, sendo comunicado do fato pela sua mãe, Jesus transforma a água em vinho, no melhor vinho, melhor que um carbenet, ou merlot, ou pinot noir, um vinho que fez com que o noivo (sem saber) fosse respeitado pela qualidade da bebida, ao invés de humilhado pela falta dela.

O primeiro milagre de Jesus não foi porque ele era amigo do noivo, pois se fosse por isso Jesus teria feito publicamente para que o noivo soubesse o que aconteceu, mas foi feito quase que secretamente, na cozinha, para servir de sinal para os seus discípulos e, assim, eles crescem que Jesus era Deus.

Em outro momento, ao sair do templo Jesus passa por um cego de nascença. Naquela época, um homem como ele era considerado pecador e sem direito algum a redenção, o que fazia com que ele vivesse uma vida medíocre, mendigando, sem ninguém para se importar, exceto Jesus, que se importou. Quando foi indagado pelos seus discípulos o porquê daquele homem ser assim, se seria por pecado dele ou dos pais, Jesus deixa claro que era para que a glória de Deus se manifestasse nele, e naquele momento Jesus cura aquele homem.

Mais uma vez a cura de Jesus serviu como sinal para mostrar, dessa vez aos religiosos judeus, que ele era Deus.

A revelação de Jesus sobre Natanael não foi para tornar o Jesus carpinteiro conhecido dele, mas foi para tornar o Jesus Deus conhecido para o Natanael.

A transformação do vinho não foi para tornar o Jesus carpinteiro mais amigo e próximo do noivo, mas foi para tornar o Jesus Deus mais próximo dos seus discípulos.

A cura do cego não foi para tornar o Jesus carpinteiro conhecido como um curandeiro, mas serviu de sinal para mostrar que somente um Jesus que é Deus, é capaz de fazer um milagre como esse.

Os sinais de Jesus apontavam para a sua divindade, esse era o intuito. Por isso eu me preocupo com o evangelho que vive atrás de milagres, que canta que “hoje o milagre vai chegar”, pois eu aprendo através da palavra que eu não preciso correr atrás do milagre uma vez que eu já cri e me tornei amigo do Jesus Deus.

Eu não preciso que o milagre chegue até mim, eu preciso me chegar até Jesus e crer que Ele vai fazer o que quiser conforme a vontade Dele, e que independente do resultado eu não perca a fé de que ele é Deus.

Com certeza Deus já realizou vários milagres em sua vida. Foram suficientes para você entender que Ele é Deus e manter uma fé inabalável Nele, apontado para Ele?

O milagre não deve ser para tornar pastor A ou B mais famoso e poderoso, nem para tornar você famoso pelo seu testemunho, pois nem o Jesus carpinteiro quis isso, mas deve apontar para a divindade do Jesus Deus e, assim. fazer com que você e as outras pessoas que te rodeiam, creiam que Ele é Deus.

Quando te perguntarem sobre o seu milagre, não hesite, faça como o cego de nascença: “Eu só sei de uma coisa, era cego e agora vejo, e se esse homem não fosse de Deus, não poderia ter feito coisa alguma” (João 9).

Posts relacionados

Comentários