O cuidado de um Pai

Quando eu era mais nova, envergonhava-me com os sinais que meu pai fazia para mim de dentro do carro ao me deixar na escola pela manhã. Como tinha que atravessar uma avenida movimentada, ele insistia que, para a minha proteção dos carros vindo em alta velocidade, eu deveria ficar abrigada atrás de uma placa de sinalização que havia e deveria ficar ali imóvel até o semáforo fechar e os carros pararem para poder atravessar em segurança. Meus amigos corriam, conversavam e me viam ali paradinha, obedecendo timidamente ao meu pai, enquanto seus olhos não saíam de mim até quando me via entrando sã e salva pelas portas do colégio.

Era tão bom o exagerado cuidado do papai…

Achava tudo isso um grande excesso de cuidado, até que, enquanto ia sozinha para a faculdade (que fica a 2 mil quilômetros de distância de onde ele mora hoje), distraída, me vi ser salva por uma placa de sinalização quando um carro, após ser fechado por outro, subiu na calçada e, a cinco metros de mim, parou seu impetuoso trajeto ao se deparar com a madeira da sinalização.

Graças a Deus, tanto eu como o motorista ficamos bem e um sorriso meio torto saiu dos meus lábios ao agradecer a Deus pelo livramento, um de tantos que acontecem em nosso dia a dia. Inadvertidos, não percebemos, ou pelo nosso conhecimento limitado, desconhecemos.

Isso me fez pensar no amor e cuidado de Deus por nós. Mais do que Senhor, do que Amigo, Deus quer nos relacionar conosco intimamente, como apenas pode haver em uma família que compartilha a vida dia a dia. A Bíblia diz em Isaías 64:8 que o Senhor Deus, através do Seu amor concedido, é nosso Pai e todos nós fomos feitos por Suas poderosas mãos. Adotados por Ele, tornamo-nos irmãos de Jesus, tendo-O como supremo referencial de modo de ser e viver.

Como um Pai disciplina o filho a quem muito ama, o Senhor se importa em nos ensinar. Como um Pai tem compaixão dos filhos, Ele se compadece de nós, porque conhece nossa estrutura, sabe do que somos formados. Assim, Ele espera que busquemos ser perfeitos como Ele, porque quer olhar para seus filhos e se ver reconhecido neles, assim como aquele que pega seu bebê nos braços pela primeira vez. Que exemplo de Pai excelente a ser seguido!

Mas nem tudo são flores…

Nem sempre, porém, apenas coisas boas e perfeitas acontecem conosco, não é mesmo? Nem sempre vem livramento, alívio ou descanso – algumas vezes, por nossa própria culpa, descuido ou teimosia ou simplesmente porque a chuva cai sobre bons ou maus, justos ou injustos. Nenhum de nós, por mais amados que sejamos, está ileso de enfrentar dificuldades. E não acredito que essa seja a vontade do Pai, mas Ele, que torna situações ruins em momentos bons, usa essas circunstâncias para nos ensinar mais Dele e de quem devemos ser.

Dias atrás, mesmo os bons conselhos do meu pai não puderam evitar que eu causasse dor em mim mesmo por uma ação impensada. Foram dias difíceis, em que fiquei chateada (até um pouco com raiva), questionando o porquê de alguns momentos existirem em nossas jornadas.

Ele estará com você todos os dias.

Senti tanta, mas tanta falta do meu pai (não o sentia perto de mim), pois sabia que, mesmo diante da sua incapacidade de me livrar dessa situação, ao chegar em casa, ele me abraçaria e cuidaria de mim, no meu lar, encontraria a proteção e a força necessária para seguir em frente. De forma semelhante, Deus que é onipotente, onisciente e onipresente, muitas vezes não evita que soframos porque tem uma lição mais valiosa a nos ensinar. O Pai está o TEMPO TODO ao nosso lado, nos momentos agradáveis ou não. Seu coração anseia que aprendamos que Ele cuida de nós, mesmo que naquela hora não O sintamos por perto. Deixe-se ser ensinado, trabalhado e moldado por Ele. Aprenda a depositar toda a sua confiança e esperança na Palavra, que é imutável. Ele estará com você todos os seus dias até a consumação dos séculos…

– Isso é o exemplo máximo de cuidado: não importa o que aconteça, Deus é seu pai e Ele cuida
de você! ❤