O sacrifício antes do antes

“Sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram; mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo; conhecido, com efeito, antes da fundação do mundo, porém manifestado no fim dos tempos, por amor de vós; que, por meio dEle, tendes fé em Deus, o qual o ressuscitou dentre os mortos e lhe deu glória, de sorte que a vossa fé e esperança estejam em Deus. (I Pedro 1.19-21)

Não sei se você já parou pra pensar a respeito, mas de onde vem a vida? Uma mulher descobre que está grávida apenas quando seu bebê já está cerca de algumas semanas em seu ventre. Ela não tem o poder de definir a hora exata, o momento certo, nem ter a certeza de que todo o empenho para engravidar resultará de fato em uma gestação imediata. Os pais não podem nem escolher os filhos que terão, o formato do rosto ou o comprimento das pernas e dos braços e muito menos quais tipos de habilidades será desenvolvidas por seus rebentos.

A vida é um grande milagre.

O mais maravilhoso de tudo isto é perceber que muito além da origem da nossa própria vida, há um epicentro que permitiu que tudo o que há na face da terra fosse possível existir e ainda mais, continua a sustentar tudo o que idealizou desde a eternidade. Essa “força”, “energia vital” ou “essência geradora de vida” se chama Cruz.

Sem a Cruz nada seria.

Tudo o que existe, só existe porque, muito antes de o Deus trino criar os céus, a terra e tudo que habita o universo, Ele decidiu passar pelo sacrifício. Para que você nascesse no dia em que você nasceu, foi necessário que o Cordeiro fosse imolado. Para que o lugar mais maravilhoso, com a beleza natural mais estonteante que você já viu na vida pudesse existir, foi necessário que o Cordeiro passasse pelo sacrifício. Para que todos os sentimentos pelo qual você já se aventurou, as lembranças mais carinhosas da sua história, seu casamento, seus filhos, sua casa, seus sonhos pudessem existir, foi necessário que Cristo fosse crucificado.

A Cruz não é apenas um instrumento de tortura e símbolo histórico que matou o maior exemplo de homem de todos os tempos, até porque Jesus é muito mais do que um bom exemplo, Ele é a Vida que encarnou. A Cruz é a via que tornou possível a criação. Foi a renúncia do trono pelo Filho por amor aqueles que nem haviam sido criados, mas que faziam parte de Sua decisão.

Cristo nos ama com um amor tão furioso que para nos criar teve que padecer e não hesitou.

Sem a Cruz, após a queda do homem com o Pecado e sua rebelião infame, seríamos jogados para a inexistência, mas pela providência prévia, pela renúncia, pelo sacrifício do Cordeiro e pelo “sangue derramado, conhecido, com efeito, antes da fundação do mundo” o universo continua a ser sustentado por Aquele que se fez maldito, mas que ressuscitou.

A origem da nossa vida vai muito mais além do que poderíamos imaginar, ela começa na eternidade e caminha para eternidade ao lado do Deus que faz nova todas as coisas, a nossa verdadeira pátria.

E cientes desta realidade podemos perceber de maneira um pouco mais revelada o texto paulino abaixo:

Porque dEle, e por meio dEle, e para Ele são todas as coisas. A Ele, pois, a glória eternamente. Amém!” (Romanos 11.36)

Jesus Cristo é a origem, o propósito e o destino.

A Ele a glória pra sempre. Solus Christus. Amém.