Para quem está sem esperanças em 2018

Em 2014, recebi um golpe forte ao perder meu único primo em um acidente de carro. No ano seguinte, me casei. 2016 foi o ano da mudança. Perdi minha motivação no trabalho que amava e sai da minha comunidade de fé que era tão engajado. Já em 2017, que prometia ser o ano mais importante da minha vida, infelizmente, tive que assistir meu casamento chegar ao fim.

Comecei 2018 sem razão para celebrar. Me vejo atravessando um momento de solidão e escuridão dentro da alma, sem motivação para continuar acreditando naquilo que antes pareciam ser imutável dentro do meu coração. Não resisti a dor mais profunda que já senti na vida e deixei-me ser abatido por diversas vezes com pensamentos pesados  sobre a vida, sobre mim e sobre tudo. Hoje, vivo a minha dor sabendo que ela pode ser compartilhada, mas jamais transferida. E foi aí, nessa falta de força total, que passei a me lembrar do Cristo.

Passei a me lembrar que o Servo sofredor que, no meio do breu da morte, diante dos seu pior momento, recorreu ao Pai e intimou suas virtudes que já quase encontravam-se adormecidas para que retornem a seus devidos lugares. Deus o ajudou a lembrar-se de quem Ele era. Ele soube que era Filho de um pai amoroso. Foi quando a coragem sumiu, a perseverança passou a não existir, quando se encerrou a temporada da paciência e o respeito à vida já não fazia mais sentido que, Jesus, mesmo sendo Deus, caiu numa desolação sem tamanho, mas fixou-se naquilo que seu Pai representava e na segurança daquilo que Ele havia dito.

Passei a ver, durante este calabouço solitário, que o sofrimento destrói até mesmo os que julgam-se mais poderosos, acaba desmontando orgulhosos convictos, lembrando os vaidosos da sua prepotência infame, fazendo ruir a nada aqueles que se envaidecem das suas condutas morais e éticas mais rígidas. O sofrimento é o mais democrático dos sentimentos, é como aquele marceneiro rígido que apara arestas sem dó para eliminar os excessos, dando origem a algo mais sofisticado e belo.

Deus nos ensina que somente os seus servos sofredores são capazes de reconhecer seus limites mais essenciais, recebem a habilitação de explorar novos horizontes que não conheciam antes, conseguem  reconhecer o amor verdadeiro daqueles que prometeram nunca o abandonar, sabem-se pertencentes a sua humanidade mais profunda e sensível, ganham de presente uma mente fortalecida para encarar qualquer nova situação, e, com tudo isso,também vem um coração todo reformado para lidar com novas missões, paixões e amores. Deus escolhe amar os sofredores.

Para aqueles que, assim como eu, tem a sensação de que perderam tudo, que não reconhecem a esperança no próximo, que se encontram em uma situação irremediável, aqueles que sua saúde lhe foram subtraída, que até mesmo não veem sentido em existir mais, para esses, Deus tem um pacote novo de recomeços.

Parece que não, mas o sofrimento é um privilégio. Somente quem passou pelo sofrimento ao lado de Deus sabe o que é compaixão, experimenta a misericórdia diária, tem a chance de conhecer a solidariedade divina. Somente quem está diante da escuridão mais profunda tem o privilégio de se parecer com Cristo, e a sorte de criar caminhos com endereço ao arrependimento e as confissões mais escusas diante do trono.

Só quem perdeu tudo que lhe trazia conforto, certeza e segurança e passou a ter somente a palavra empenhada de Deus tem a oportunidade de  subverter seus juízos mais antigos e não imputar sentenças mais severas sobre si, só quem sofre acompanhado de Deus tem a chance de promover novas  reconciliações necessárias consigo, com Ele e com o mundo. Só quem sofre pode amar ao Senhor.

Repare na bíblia como estar abatido é uma condição comum das pessoas que Deus mais usou na vida inteira, mas sofrimento nenhum nesse mundo, tem o poder de tirar a esperança daqueles que sabem que não isso aqui tudo que passamos hoje não é permanente.

Quando me vejo sem ter tudo que julgo precisar ter, lembro-me da recomendação:

“Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens.” 1 Coríntios 15: 19

Uma coisa é certa sobre o sofrimento: Nem doença, nem a morte, nem o fim de um amor, nem a pior das dores pulsando no corpo, podem calar o que o  Filho fez naquela cruz. Toda dor acompanhada de Deus, é realmente, por enquanto.

 

Feliz novo ano. Feliz novo você. Deus tem muito mais para nós.