Porque é tão difícil achar uma igreja boa?

Há quem diga que os jovens não querem ir mais a igreja porque estão entregues a rebelião juvenil contra as instituições. Tá, pode até ter um pouco de razão, mas a verdade é que alguns deles apesar de saber da importância que a reunião pode ter, estão esgotados e não conseguem mais encontrar espaço dentro do ambiente da igreja.

Se fizéssemos uma pesquisa, encontraríamos uma alta taxa de pessoas que sabem da importância de uma vida comunitária, mas que não conseguem se sentir bem em nenhuma delas. Cegos pela religiosidade, os membros mais antigos botam a culpa nos jovens, na pós modernidade, na televisão, na cultura que estamos vivendo e até em uma suposta desobediência intencional.

Porque estamos indo a igreja?

Eu prefiro olhar para o problema como parte dele. É verdade que boa parte da população ainda vê a igreja apenas como um condutor ético, uma espécie de babá moral, e enxergam a figura dos pastores como aqueles avós que compram a balinha predileta só para agradar o netinho. 

Não é difícil encontrarmos pessoas que buscam nas comunidades uma espécie de creche, onde todos os finais de semana somos distraídos da realidade do mundo moderno e a mensagem não surte efeito prático no cotidiano. É apenas um local para se divertir e passar bons momentos. Isso pode até atrair pessoas, mas traz a elas pouca sensação de pertencimento e parte daquilo. Na primeira vacilada o sujeito já pula para outra comunidade.

Sou a favor sempre da igreja, mas tenho também tido bastante dificuldade. Eu sou aquele tipo de cristão que já passou por muitas igrejas e já trabalhou em quase todas as áreas dentro de uma igreja. De louvor a pregação. Talvez seja este o motivo que me levou a ser mais crítico na hora de encontrar um local para congregar, me envolver, construir uma morada, iniciar relacionamentos, fincar as estacas de uma vez. 

Temos que aprender que igreja não é local de troca. Igreja é local de devoção ao Senhor.

Individualismo e grupos na igreja

A maioria das igrejas que frequentei passei por um período grande de adaptação, afinal sempre achei que no meio do povo de Deus não deveria existir certas separações, mas elas são corriqueiras.

Acreditava que ninguém deveria deixar de chamar outro para comer uma pizza apenas porque ele era de classe social diferente, ou que o fato dele não ter carro ou morar longe deveria ser razão para não estar junto com os demais.

A verdade é que muitas igrejas apenas são um local para encontrar pessoas com interesses comum. Não há o mínimo de noção comunitária como participante ativo na vida das famílias, não maioria das vezes não se parece com um corpo orgânico, não possui harmonia, conformidade e coletividade. A igreja deixou de fazer parte da nossa casa e passou a ser um local para ir.

As velhas raposas

Eu sei que muita gente sabe muito bem que ninguém deve abandonar uma igreja simplesmente porque ela não é perfeita. Claro, qualquer lugar onde tenham pessoas, jamais será perfeito. 

A questão aqui é que acredito que muitas pessoas não encontram um local para ir porque se decepcionaram tanto com experiências passadas que começaram a se esconder atrás de desculpas.

Por exemplo, frequentei uma comunidade onde toda a liderança da igreja é um grupo com os mais ricos e influentes. Eles tomavam todas as decisões e somente eles tinham a oportunidade de ensinar, liderar, instruir e orientar toda a igreja. Assim, as demandas atendidas nunca eram dos que mais necessitavam, mas apenas  de um velho grupo que guiava a igreja segundo seus interesses.

Aquilo acabava me deixando mal porque eu notava que a igreja era apenas pomposa por fora, mas por dentro era realmente uma podridão de pecados. Ela sustentava uma aparência de próspera, tinham uma teologia que se julgava superior, mas dentro dos grupos menores as pessoas sofriam com seus pecados sem tratamento. Isso me chateava tanto que tive que romper.

Não desistir do evangelho

Apesar disso, não é verdade que na igreja só têm pessoas hipócritas, eu tive a oportunidade de ver muitos irmãos sendo ajudados, de ver pessoas sendo amadas verdadeiramente, vi irmãos dividindo o que tinha, vi realmente pessoas que eram reposta de oração de muitas outras.

Aprendi que não é possível dizer que ama Jesus e não gostar da igreja porque Jesus e a igreja andam juntos. Não é possível dizer que segue a Jesus sem que isso seja estendido a convivência entre irmãos. Amar a Jesus implica em amar as pessoas da igreja. Este é o milagre do amor.

Aprendi que nunca teremos tempo para ir à igreja se não fizemos dessa uma atividade real em nossas vidas. Ir à igreja certamente não o fará ser mais amado por Deus, nem é sinal de passaporte carimbado para o céu. Deus não contabiliza o tempo que passamos indo a igreja e nem faz lista de chamadas, mas quanto menos tivermos o hábito de ir, menos vamos querer ir. Por seguinte, menos estaremos dispostos a andar com os irmãos.

Perceber o joio e o trigo

Apesar de andar desanimado com a igreja e perceber que isso é muito comum entre os cristãos, aprendi a diferenciar aqueles que usam da igreja para controlar as vidas das pessoas e aqueles que gostariam apenas de revelar Jesus nas dificuldades.

 Cada dia que passa conheço mais pessoas que  foram abusada por líderes intrometidos e que relutam para recuperar a credibilidade na igreja.

Para não causar injustiça, aprendi a ver que as experiências ruins que tive dentro dos lugares apenas me ajudaram a identificar mais ainda os problemas que a igreja tem, mas também notei que quando mais atento eu estava as pessoas que prejudicam o evangelho, menos eu queria fazer parte da solução. Isso deveria ser o oposto.

Se você identificou um problema, você é responsável por resolver ou levar a quem pode interferir. Não devemos deixar com que a igreja sofra essas investidas e simplesmente ignorar.

Porque continuar indo à igreja?

Entendo perfeitamente quem diz que não está preparado para voltar a essa avalanche que é a igreja. Eu mesmo sempre suspeito se deveria mesmo continuar indo à igreja, mas quando olho para a vida daqueles que foram chamados para ser igreja de Cristo, não me sobra outra alternativa a não ser insistir na igreja de Cristo, prosseguir em falar Dele e da sua Palavra e perdoar aqueles que nos tem ofendido. Assim como Jesus ensinou.