Santidade e luz

O que, iluminando os objetos, os torna visíveis

Sabemos que Deus é luz, e é “o único imortal. Ele vive na luz e ninguém pode chegar perto dela. Ninguém nunca o viu nem pode ver…” (I Tm 6.16). Sabemos também que, pelo seu poder, Deus se revela e aproxima-se de nós, seres humanos. “Jacó disse a José: O Deus todo poderoso me apareceu em Luz, na terra de Canaã, e me abençoou” (Gn 48.3). O apóstolo Paulo fez o seguinte relato: “Ora, aconteceu que, indo eu já de caminho, chegando perto de Damasco, quase ao meio dia, de repente me rodeou uma grande luz do céu” (Atos 22.6).

Luz que transforma

Dois homens distintos no Antigo e Novo Testamentos viram a Deus em luz. Os dois foram transformados para sempre. Nunca mais foram os mesmos. Suas vidas foram completamente mudadas. Jacó de enganador a patriarca, e Paulo, de perseguidor do evangelho a apóstolo. Essa transformação tornou-os homens santos, separados, escolhidos e tementes a Deus. Assim também é conosco. Deus nos amou, salvou e resgatou, e agora fazemos parte da comunidade dos santos, a nova humanidade criada em Cristo e unida a Ele. Éramos trevas, estávamos assentados em trevas e vimos uma grande luz; a luz raiou, resplandeceu; a luz de Deus gera comunhão e purificação de todos os pecados (Ef 5.8; Jo 12.36; Mt 4.16; I Jo 1.7, 2.9).

Filhos da Luz

Se Deus é luz, agora somos luz no Senhor e somos impulsionados a andar como filhos da luz, ou seja, filhos de Deus, filhos do dia. Isto é viver em santidade, porque não mais somos da noite nem das trevas. Sendo Jesus a Luz do mundo, e sendo nós seus seguidores, Ele nos faz “idôneos para participarmos dos santos na luz” (Cl 1.12).

Santidade e luz para nós hoje é a experiência de viver o Reino de Deus no presente apontando para o futuro.

Quando Deus, através do Seu Filho Jesus Cristo visitou a humanidade de forma física, semelhante à humana, foi para estabelecer o Seu propósito de criar a nova humanidade. Primeiro, com a morte substitutiva de Cristo na cruz; segundo, operando o novo nascimento nos que n’Ele creem, cujo objetivo é tornar os filhos do Reino, parecidos com Cristo (Rm 8.29).

Entendemos que no presente o Emanuel, o Deus conosco, continua sendo uma realidade através da dádiva do Espírito Santo à igreja até o dia da redenção, quando estaremos para sempre na presença de Deus. O apóstolo João escreveu, assim: “Agora, a morada de Deus está entre os seres humanos! Deus vai  morar com eles, e eles serão os povos dele. O próprio Deus estará com eles e será o Deus deles” (Ap 21.3).

Santidade e luz são inseparáveis porque são as características de Deus e serão as do Seu povo para todo o sempre. Amém!

Texto de Gerson Salustre.