Sobre as coisas urgentes e as importantes do dia a dia

pressa3

Você e eu passamos o dia a fazer coisas sem importância, coisas importantes e coisas urgentes. A vida é dividida assim e, por isso, é fundamental para nós, em nosso cotidiano, aprendermos a diferença entre elas.

Importante é tudo aquilo que nos faz cumprir o propósito de Deus para nós, é tudo aquilo que não podemos perder de maneira alguma, é o que torna nossa vida relevante. Urgente são aquelas coisas que são necessárias e precisam ser feitas por um determinado tempo, mas nas quais eu não devo colocar meu coração, minha paixão e minhas forças. Para mim, meus problemas diários, minha faculdade, meu emprego, minha conta bancária e até mesmo aquela casa que eu tanto quero são urgentes, mas como eu não posso controlá-las totalmente ou evitar perdê-las, entrego TODAS elas ao Único que faz todas as coisas cooperarem para me moldar ao Seu caráter, pois Ele cuida de mim. Já as minhas coisas realmente importantes, como meu relacionamento com Ele, com meus pais, irmãos, noivo, familiares e amigos, ah!… essas coisas devem ser a minha prioridade de vida.

Você pode ser médico, advogado, professor engenheiro etc., pois é importante ter uma profissão. Você pode ter um carro, uma casa, um celular, pois é bom ter um conforto. Você só não pode viver para correr atrás dessas coisas. Seu chamado para fazer aquilo que Jesus fez deve ser a sua principal função. Esse serviço produz frutos eternos – ou seja, ele, sim, vale a pena!

Dessa forma, compreenderemos que pessoas estão SEMPRE acima das coisas. Elas são as coisas importantes da vida. O Reino de Deus é eterno, firmado em misericórdia, em justiça, em igualdade, em bondade e em fidelidade e, amigo, ele está em nós! A sua vida, firmada na Palavra, deve então frutificar as características dos que fazem parte desse Reino. Paulo interessava-se por pessoas, não por bens. Cumprir o chamado de Deus em sua vida era seu objetivo, sua paixão e sua razão de viver. Era para isso que ele se dedicava inteiramente. Como ele nos ensina em II Coríntios 12:15, que nos gastemos e desgastemos de boa vontade pelas almas ao nosso redor. Para isso, é preciso primeiramente investir nosso tempo em buscar conhecer e o Autor e Consumador de nossa fé, Aquele que nos convocou para essa obra.

Um dia desses, li algo que constrangeu meu coração profundamente. Era uma publicação que questionava o seguinte: ‘se seu patrão recebesse de você o tempo que você dá a Deus, você ainda teria emprego?; ou se seus familiares e amigos tivessem de você a mesma dedicação que você tem tido para com Deus, você estaria ainda acompanhado?

pressa1

Quanto do nosso tempo temos dado a Deus? Aquele que tem nos dado, dia após dia, o fôlego de vida e nos sustentado 24 horas diariamente, 30 dias mensalmente, 12 meses anualmente? Nada do que façamos será suficiente para retribuir tudo o que Ele fez por nós, porém, será que não podemos com um coração grato empenhar-nos em dar o melhor de nossas vidas ao Todo-Poderoso?

Se você não tem se dedicado ao Senhor, saiba que ainda há tempo para mudar. Comece hoje a priorizá-Lo na sua vida. Se você já o faz, que coisa boa, empenhe-se em dar ainda mais Àquele que é digno de receber cada fôlego nosso. Despreze as pequenas e passageiras coisas, mas valorize as excelentes e eternas. Vidas são o que importa. Experimentar uma vida de intimidade com Deus é a melhor coisa que você pode conhecer. Não tenha medo de investir seus melhores anos no trabalho para o Senhor. Pode ser que muitas vezes pareça que nada acontece, mas a recompensa vem Dele, e não de homens, portanto, ela não falhará.

‘Qualquer que procurar preservar a sua vida, perder-la-á, e qualquer que a perder, conserva-la-á.’ (Lucas 17:33)