4 motivos para não falar de sexo na igreja

Estive pensando em algumas razões para não falarmos de sexo na igreja, com a galera da igreja, e obviamente, com a galera que eu mais tenho contato, os jovens e adolescentes da igreja. E cheguei aos seguintes motivos, os mais comuns pelo menos:

Não fale de sexo na igreja, porque o sexo é sujo.

Eu não penso assim. Você que é casado, também não. Mas a mente religiosa pensa assim. Não conversamos sobre sexo, porque em primeira instância achamos que o sexo é uma atividade humana suja, que serve somente para nos provocar tentações, e obviamente a procriação. Assim, em vista daquilo que se vê na TV, toda expressão de sexualidade é diferente demais para os moldes cristãos.

Particularmente, se pudesse aconselhar, e se me permitissem isso, não tenha medo de conversar sobre nada, principalmente sobre sexo e os assuntos derivados. A sexualidade exacerbada e vivida de toda forma e expressão no mundo, falará ao povo de Deus de alguma forma, se o diálogo não ocorrer, em casa, na família, e principalmente na igreja, reconhecendo o sexo como benção e como plano de Deus para a humanidade, continuaremos a olhar o sexo como algo sujo. E nós concebemos que dentro do casamento essa relação não tem nada de sujo, mas é sim algo sublime. Uma relação de respeito, amor, entrega e cuidado com o seu cônjuge.

Não fale sobre sexo, porque o sexo não é uma realidade para a maioria da comunidade.

Particularmente, tenho uma visão romântica também sobre a comunidade local. Acredito que as pessoas da comunidade respeitam e entendem sua responsabilidade, então adolescentes e jovens se preservam, única e exclusivamente, por consciência do significado de uma relação sexual saudável somente após o “sim” no altar.

Mas, se formos agir com sinceridade, reconheceremos que não é essa a realidade. Vocês sabem que o sexo está presente na vida da juventude, existe gente viciada em pornografia; gente que acredita que o sexo com outra pessoa não sendo seu marido ou esposa, será muito melhor e prazeroso; existe todo tipo de deturpação da humanidade. E ainda acredita-se que se falar sobre sexo na verdade é fomentar o assunto e provocar “desejos carnais”.

Não é assim. O povo precisa de conhecimento e acompanhamento. Gente que vai olhar nos olhos, dar informação, propor a caminhada rumo à cruz, entregando nela os sites pornográficos, os casos de adultério vividos em anos de casado e as relações traumáticas vividas ao longo da vida. Sem julgamento, sem culpa. Apenas caminhar ao lado, com ombro amigo, lágrimas nos olhos, ansiando ver a plenitude de Deus manifestando em todas as áreas do homem.

Não fale sobre sexo, porque no que tange ao sexo, é o pecado mais grave.

Não, eu não penso assim. Mas não são poucos os “neopentecostais” que defendem que pecados sexuais são os piores tipos de pecado. Talvez eles estejam se esquecendo que o pior tipo de pecado é ser humano. Talvez eles estejam se esquecendo que a cruz de Cristo reconcilia com Deus o mundo. Talvez eles estejam se esquecendo que o Cristo era um homem todo, e sua obra redentora e santa cabe a sexualidade e não difere em nada de nada, como a mentira que eles pregam nos púlpitos, a manipulação para ganhar dinheiro por aí, o acúmulo de bens que deveriam ser usados para abençoar a sociedade a cidade e etc. A sexualidade e todas as suas expressões não é um pecado maior do que qualquer outro, é somente, uma expressão da natureza humana depravada que temos. Então jogue a sua hipocrisia farisaica fora e caminhe com aqueles que tropeçam nessa área da mesma forma que Jesus se propõe a caminhar com você.

Não fale sobre sexo, porque sexo é um assunto polêmico.

É impressionante, mas esse ainda é um motivo para não se falar sobre sexo. Estoura a cada semana uma nova polêmica gospel alguns se acham no direito de falar de tudo isso. Complica o cantor gospel daqui, acusa o falso profeta de lá, denuncia todo mundo. Mas omissão, na minha singela opinião, é tão repugnante quanto o exibicionismo das estrelas gospel. Omissão é entender e enxergar uma necessidade específica para determinado público e não lhe suprir isso. Quem sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.

A polêmica, o escândalo, a perseguição e etc, são inerentes a cruz de Cristo. Minhas únicas dúvidas são:

A cruz é mesmo a nossa mensagem?
Para todos os assuntos, ela é o suficiente?
A cruz é ainda cruz, ou ela se perdeu séculos atrás?

Se as respostas forem positivas, fale do que for, inclusive sobre sexo, crendo que Cristo está contigo e interessado nesse assunto também. Ele é a nossa verdade e nós podemos viver uma sexualidade saudável, compartilhando e experimentando o sonho de Deus para nós, no momento oportuno.

Abro parênteses. Se precisar conversar estamos aqui para isso. Não temos medo de conversar de assunto algum, até porque cremos que quem nos conduzirá em amor é o próprio Espírito Santo. Fecha parênteses.

Em amor e pelo amor. E vamos juntos para o estouro.