Andar juntos não é um status

Se olharmos para o Alto, será possível
imaginar como devemos amar

“Duas pessoas andarão juntas se não estiverem de acordo?” (Amós 3:3)

Hoje, completo dois anos que estou unido a minha noiva. Faz dois anos que a cada dia nós temos experimentado um pouco do que é viver o amor que o Senhor proporciona.  Apesar da data especial, vim apenas dar um testemunho do que Ele tem nos ensinado nessa pequena caminhada. Se olharmos para o Alto, será possível imaginar como devemos amar. É por isso que o amor real só pode vir Dele, nasce por meio Dele e tem que glorificar a Ele.

Com Deus, aprendi que amor é doação.

A palavra de Deus tem uma tônica, o Amor. As próprias escrituras falam que Deus amou o mundo de “tal maneira” que deu Seu Filho. (João 3:16). O termo “tal maneira” deve ter sido usado porque o escritor não conseguiu traduzir em letras a grande loucura de amor que é um Deus, sendo Todo-poderoso, se sujeitar a uma cruz por amor a toda a humanidade. Ter que explicar esse amor é impossível. Deus nos ensina que aquele que ama doa-se em prol do outro. Seria uma loucura tremenda querer se igualar ao amor de Deus com nossa capacidade, mas também seria uma negligência não perceber que doando-se a cada dia fazemos o amor de Jesus se estender para nosso relacionamento.

Com Deus, aprendi que amor é o perdão antecipado.

Deus perdoou o mundo em seu Filho Jesus e não tem nada que possamos fazer ou não fazer para que Ele desista do relacionamento conosco. Por isso, Deus sempre está disposto a nos amar. Sendo assim, devemos  ser dois que estejam disposto a ficarem juntos independente de erros, de problemas, de dificuldades. O perdão deve ser antecipado. É possível amar em tempo de erros. Perdoar sempre nos dá a oportunidade de recomeçar, é por isso que Ele insiste em nós, porque Ele providenciou um começo novo para nós em Cristo. Perdoar quer dizer que o amor pode ser maior que muitos problemas. É por isso que só podemos perdoar com o perdão de Cristo, porque não há perdão em  nós, precisamos perdoar porque também somos errantes e mesmo assim, Ele nos ama.

Com Deus, aprendi que o amor é um reflexo.

Qualquer um que se perceba amado por Deus não consegue ficar indiferente a esse fato. Ele nos consome e nos faz experimentar um estágio que jamais tivemos antes. O amor de Deus é constrangedor. É simplesmente a expressão completa de que já fomos aceitos. Dessa mesma maneira, o amor entre nós tem que ser na base da aceitação de que juntos temos pesos e contra-pesos, mas que somos equilibrados por meio de Cristo. Amar ao outro é sabermos que fomos amados pelo Pai.

Com Deus, aprendi que o amor é um exercício diário.

“Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor está aperfeiçoado em nós.” 1 João 4:12.  O amor precisa ser cultivado e carece de dedicação. É mais comprometido com fazer o outro feliz do que com buscar nossa própria felicidade no outro. Sei que parece estranho dizer isso em um mundo onde tudo é “self- service”. Mas no amor, não dá para ser assim. A verdade é que precisamos aprender que amar vai além de buscar a satisfação, mas sim em doar-se. O principio do evangelho é a servidão. Servir é coisa de filho de Deus. E assim, somos gratos a Deus pelo oportunidade de amar um ao outro sem sentir prejuízo por isso.

Com Deus aprendi que amor é eterno.

“Dêem graças ao Senhor, porque ele é bom. O seu amor dura para sempre!” Salmos 136:1. Deus ama sem pensar no final desse amor. Outro dia ouvi de uma mulher que ela ia se casar mas que cada um tinha suas coisas em seus nomes porque “não dá para saber o dia de amanhã”. Bem, não quero fazer papel de guru adivinho, mas sem dúvida, esses dois terão bastante dificuldades de se relacionar. Começar um relacionamento achando que um dia ele pode acabar é uma bobeira. Não é o modelo de Deus. Deus nos ensina que amar é envolver-se para que toda a vida seja um dedicado ao outro, se relacionando e se unindo não só em corpo, mas diante de Deus. O Amor não pode ter prazo de validade. É isso que Deus expressa através da sua palavra. Quando somos um em Cristo, só existe a palavra nosso. A finitude do amor não é algo a se considerado para que dois se envolvam. Se o amor de Deus é para sempre, é porque ele também sonha isso para nós.

Quero andar com minha amada, quanto tempo Deus me der, e quero servi-la conforme a Sua palavra diz, não para que a glória seja minha, mas como reflexo daquilo que o Senhor me fez! Que Ele ajude a todos nós, nos ensinando a amar como Ele amou o mundo. Amém!

Murillo Leal é jornalista e escreve também no blog Crerpensando.
Contato: mumaleal@gmail.com http://about.me/lealmurillo

Foto: Polina Rabtseva