Desejos do coração

O melhor é nos abandonarmos nas mãos do Senhor

As expectativas são muito boas: dias de alegria, de conhecer um ao outro, de se doar e amar, momentos românticos, lugares bonitos, sol, lua, estrelas… com muita graça, tudo coopera. Não importa mais nada, só os dois. Se chover, está bem! Se fizer sol, bem está também.

Só cuidado para não extrapolar e começar a projetar comportamentos para o outro. Quando vamos além disso corremos o risco de desejar que o outro faça assim ou assado. O que é impossível! Você tem uma história completamente diferente do outro. Você tem uma criação distinta da educação do outro. Você pensa e vê as coisas ao seu redor diferente do outro. Como pois, você teria condição de determinar como o outro irá se comportar? Sempre projetamos o comportamento com base na nossa vivência e isto é desastroso.

Se o outro não atua como projetamos, esperamos ou até mesmo sonhamos, podemos nos frustrar. Podemos nos decepcionar e começar a exigir que o outro faça isso ou aquilo desta ou daquela forma. Começa-se as desavenças e as broncas, sem nenhuma necessidade.

— Como assim? Não posso realizar meus sonhos? Desde muito jovem eu desejei… E agora?

Observe Naamã. Grande general dos assírios, herói de guerra, mas leproso. Com carta de apresentação vai ao profeta pedir que o cure. Mas projetou comportamento e quase perdeu a sua cura:

“Naamã, porém, muito se indignou e se foi, dizendo: Pensava eu que ele sairia a ter comigo, pôr-se-ia de pé, invocaria o nome do Senhor, seu Deus, moveria a mão sobre o lugar da lepra e restauraria o leproso. Não são, porventura, Abana e Farfar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? Não poderia eu lavar-me neles e ficar limpo? E voltou-se e se foi com indignação.” (2 Reis 5:11-12).

Um homem desejoso de ser curado. Faz uma longa viagem e pensa e pensa de como seria o encontro com o tal profeta. Esperava uma ação hollywoodiana: tarefas difíceis e alto custo. Todavia nem sequer conhece o profeta. Mas recebe só uma mensagenzinha curta: “Vai, lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será restaurada, e ficarás limpo.” (2 Reis 5:10). Foi curado porque seus oficiais e amigos o instaram para que fizesse o que o profeta determinara.

E aí? Você prefere correr o risco de perder o que Deus tem para você? O melhor é nos abandonarmos nas mãos do Senhor. Deixarmos que o Pai faça o que quiser quando desejar. Largar-se definitivamente nas mãos de Deus. E … “Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa, porque dele vem a minha esperança.” (Salmos 62:5).

Cabe a cada um… “Agrada-te do Senhor, e ele satisfará os desejos do teu coração.” (Salmos 37:4).

Texto de Sérgio Avillez, do site pelamanha.com.