Não ame apenas o suficiente

mulher4

Não procuramos pessoas que nos amem o suficiente. Não queremos sócios para dividir os carinhos, queremos uma entrega mútua e completa, algo que não seja apenas suficiente. Não queremos um herói do amor, mas não me venha com um amor mediano. Não fomos feitos para amores medíocres. Não amo mais do que deveria e nem menos do que poderia.

O mínimo necessário para não estar solteiro não nos interessa. Queremos inovação. Um apelido novo. Uma nova série no Netflix. Uma nova especiaria no livro de receitas. Um novo cafuné a cada dia. Queremos profundidade. Uma nova aliança verbal e física. Um novo olhar de encorajamento. Um velho novo “eu te amo”.

Queremos um amor que nos motive a sair de casa para viver.

Queremos aquela sensação de sede saciada. Queremos um cobertor traçado em noites glaciais. Queremos um único raio de sol que é capaz de afastar da grande quantidade de sombras.

Se o amor pode viver bem em meio as novidades recorrentes por que sempre precisamos transformá-lo em rotinas maçantes?
Se o amor se alimenta de mudanças constantes por que temos que entrar em dietas do mais do mesmo?
Se carecemos de dias mais aventureiros por que continuamos na inércia cotidiana?
Se gostamos mais da conchinha por que insistir no costas a costas?

armandinho

Não queremos um amor suficiente, queremos um que se supere.

Sei que muitos dizem que utilizar técnicas para apimentar a relação resolve grandes problemas, mas é momentâneo, paliativo. O amor de verdade não é feito só do tempero extra. Ele pode até exigir mais criatividade, mais imaginação, mas antes disso, é preciso saber não descuidar do coração.

Não falo apenas de falta de amor, mas das paixões que foram perdidas, dos desencontros ignorados, do distanciamento de interesses desprezado, da procrastinação das ações. O amor não é só emoção recíproca, mas é a sensação do insuficiente.

Entendo que muitos não querem o amor doentio de alguém que ama o tempo todo, afinal, concordo que para todo amor uma dose de crise é necessário para que haja mais reconciliações cheias de afetos. Compreendo que não queremos também um amor que nos consuma mais do que podemos dar, que nos sobrecarregue nas exigências, que seja uma via de uma única mão.

timidez

Se você perdeu a dimensão do que se transformou o  seu relacionamento,  é hora de voltar.  Faça o caminho inverso antes que não tenha mais placas indicativas de retorno. Quando encontramos algo que amamos de verdade, aceitamos correr riscos, passar obstáculos e avançar juntos sem notar os prejuízos e benefícios de uma vida a dois.

Este texto faz parte do projeto Casal do Blog