O profeta Chorão em “Me encontra”

…e a nossa saga continua pelos mais variados motivos. Primeiro, por Chorão continuar falando muito ao meu coração. Segundo, por muitos daqueles que acompanham a série estarem muito empolgados e me mandarem, constantemente, novos títulos do nosso profeta. Por último, por se tratar de uma das séries que escrevi e que mais gosto de ter escrito aqui no MVC.

A música de hoje foi escrita por uma dupla dinâmica: Chorão e Tiago Castanho, o guitarrista da banda Charlie Brown Jr. Aliás, nossa música de hoje servirá de base para dois textos e até poderia ser tema de várias outras meditações, mas hoje acho necessário esclarecer algumas coisas sobre namoro. Assim, iniciaremos com esse tema. Essa música, muito tem a ver com o evangelho e sua relação no que diz respeito ao “tão sonhado envolvimento amoroso jovem”, e tentará nos ensinar algo sobre isso. Depois, em um outro artigo falarei sobre teologia, outro grande tema que tem sido deturpado na mente da juventude evangélica.

Então vamos lá:

Hoje eu vou sair para encontrar o amor / Que espero há tanto tempo e ainda não rolou / O vento diz que é hoje em meio à multidão / Que eu vou encontrar a dona do meu coração

Vamos do início: na Bíblia, em sua história, não há nenhum relato de alguém que tenha buscado um relacionamento amoroso primeiramente em termos espirituais, naqueles períodos longos de oração em grande convicção e revelação dos céus, nos quais Deus tenha definido algo do tipo: “é aquela pessoa e pronto”.

Tomemos de exemplo Isaque (Gênesis 24). Esse relacionamento, hoje, não seria aceito em grande parte de nossas igrejas evangélicas no Brasil. Não teve três meses de oração, não teve a “bênção” da liderança, não teve nenhuma revelação (voz do céu) confirmando isso no coração dos pastores e líderes locais. Tratava-se de “um relacionamento precipitado e fadado ao fracasso”. Pelo menos é o que diriam os nossos amigos de ministérios da pureza sexual.

Até pode ser que alguns representantes desses ministérios como: “Eu Escolhi Esperar”, “Não Morda a Maçã”, “Loucos por Jesus” etc, dirão que o servo enviado por Abraão fez votos para saber quem era a mulher para seu senhor (verso 14 do capítulo 24) e pediu provas do céu. E não posso contestá-los. Mas quero afirmar que antes de qualquer prova com Deus, existiu a decisão de alguém. O servo foi enviado com uma missão de encontrar alguém.

Então, a nossa primeira estrofe ensina: Jovem, você precisa decidir namorar a menina(o) antes de provar Deus. Então pare com a sua “frescura gospel” de jejum e oração para arrumar alguém, e vista-se bem, seja inteligente, legal, companheiro, cheiroso, sem bafo e vá à luta pela(o) sua(eu) amada(o). Ministérios da pureza sexual têm grande serventia na procriação de homens frouxos que não sabem o que querem. Bem como, mulheres confusas, que não decidem por um envolvimento amoroso saudável e sério com alguém que realmente lhes faça bem.

E aí sempre Sorrir, chorar e ter alguém pra compartilhar sempre / Viver para alguém que me ama e dividir sempre / Felicidade e amor

Gostaria de voltar a história do nosso namoro bíblico (Rebeca e Isaque). Os dois olharam-se e, pelo que parece, gostaram-se e foram direto para a tenda (versos 63 ao 67), com pouca conversa. De certo, ambos eram muito bonitos. Mas é incrível pensar que de um começo assim se estabeleceu uma família duradoura. E cá entre nós, famílias duradouras são formadas por gente que tem bem mais que rosto bonito, pureza sexual e sorte no amor.

Famílias duradouras são compostas de gente que escolhe a mesma coisa todo dia. A mesma companhia, o mesmo programa, o mesmo endereço e o mesmo lar. Enquanto o “amor” não sair de mero “arrepio na barriga” e virar uma decisão coerente com a vida e os sonhos de um casal, a gente continuará se arrebentando em sonhos com príncipes encantados e mulheres perfeitas.

Nós gostamos tanto de mistificar as coisas. A menina não sabe conversar, só tem beleza e não sabe por que é solteira; o menino é bonito e inteligente, mas não sabe como tratar uma mulher — outros dois que não namorarão tão cedo.

Nosso profeta ensina o tipo de gente que a gente tem de aprender a procurar para ser nosso companheiro de vida. Menos beleza e mais cumplicidade. Menos aparência e mais caráter. Gente em quem a gente possa confiar e dividir a vida (projetos e vida futura). Alguém para quem a gente viva para provocar a sua felicidade.

Aqui é o campo em que os ministérios da pureza sexual mais falham em minha opinião.

Não me guardo para me privar do sofrimento futuro, mas para ter uma joia a entregar para meu(minha) companheiro(a).

A ênfase no sofrimento decorrente de uma relação sexual precipitada é, no final das contas, um ato religioso de barganha e preocupação egoísta. A preocupação em fazer o outro feliz com uma joia verdadeira, é inspiração, é zelo, é amor na forma mais pura em direção ao outro. Por isso nos guardamos, por amar alguém e decidir dividir algo especial com alguém pelo resto da vida.

Então me encontra ou deixa eu te encontrar / Me encontra ou deixa eu te encontrar

Acredito na necessidade do homem de saber cortejar ou, pelo menos, morrer tentando fazer isso com uma menina— não quero parecer machista. Então, meninas, uma grande ajuda de vocês é: mostrem uma evidência do seu sentimento ou das suas intenções pelo rapaz. Nem tudo o que é extremamente claro para vocês, o é para nós.

Somos machões, mas quando o assunto é mulher, ninguém tem tanta certeza assim. Os garanhões de plantão negarão isso nos comentários, mas nas conversas íntimas dos meninos, as dúvidas sobre o que vocês realmente pensam deles são bem mais frequentes que as certezas. Vai por mim.

E posso ser sincero? Infelizmente, os nossos meninos leem muito os blogs de “pureza sexual” e não sabem muito bem como um homem deve fazer…

Então, mulheres, pelo bem da espécie: “deixem-se encontrar”, em nome de Jesus.

Eu não conheço todas as flores / Mas vou mandar todas que eu puder / Vivemos tempos de loucos amores / Só é feliz quem sabe o que quer

E para os já comprometidos, aprendam: conquistar não é o final. Estabelecer um compromisso, mesmo que formal, não é o suficiente. Sua companheira não pode estar com você por obrigação. Então, aos caras que pararam de malhar, pararam com as flores, pararam com as mensagens mais românticas: a “solteirice” e os blogs da pureza sexual precisam de adeptos. Lutem para não voltar pra lá!

Sejam românticos. Comprem rosas em datas importantes e lembrem-se dessas datas. Mas também surpreendam em dias em que não tem “nada de importante” e mostrem a ela que o importante mesmo é estar com ela ou, caso seja solteiro, agradá-la.

Fico pensando onde está você / E se você estaria pensando em me encontrar / Como sou, onde estou e onde quero chegar / Como sou, como é que vai ser e onde vou te levar / Mas se você me ver pode acenar pra mim / Já pensou que louco te encontrar assim? / Eu vou na boa, eu vou na fé, eu sei que vou te encontrar / E quando eu te encontrar nós vamos comemorar

Aqui é a grande sacada inicial. Sem muitas fórmulas. Sabe aquele site de namoro que você abre para procurar o par perfeito — esse aí que está nos seus favoritos: deleta! Denuncia como conteúdo impróprio, como mentira, como sem ligação com o real e viva a vida (brincadeirinha para descontrair). Não tem lugar melhor para se apaixonar do que no “solo sagrado da vida comum” – Desmond Tutu.

Assim, a bíblia e o Chorão nos ensinam duas coisas. A primeira é que blogs sobre “pureza sexual” não nos servem para muita coisa na prática, na vida real para o encontro de um grande amor. A segunda é que se apaixonar e decidir viver um amor depende muito mais de você e de sua companheira do que de qualquer outra pessoa.

Que Deus te abençoe, em amor e pelo amor.