Um amor para regar

O ano passado escrevi o texto: “o amor que encontro em você”. Era meu primeiro dia dos namorados ‘namorando sério’ e resolvi compartilhar o que sinto na minha relação e na arrebatadora experiência do amor, da paixão e da relação que pode ocorrer entre duas pessoas.

Um ano se passou e completei um ano de namoro alguns dias atrás. A experiência de caminhar junto à menina que, particularmente, creio que foi Deus que colocou em meu caminho tem sido demais. Mas gostaria de compartilhar algumas coisas que aprendi nesse pouco tempo e espero te ajudar tanto no seu relacionamento amoroso quanto nas escolhas de sua vida.

Não é fácil namorar

Aprendi muito com a leitura do texto do meu amigo Luciano Bruno, “4 verdades inconvenientes sobre o namoro,” onde pude perceber que não iria ser fácil, não iria ser tudo colorido, não iria ser mil maravilhas. Você tem suas crises, sua companheira, as dela, a questão é que haverá dias em que você abrirá mão das suas para cuidar das dela e vice-versa. Mas não, vocês não serão perfeitos, lindinhos e coloridos um para o outro para sempre. E posso ser sincero? Graças a Deus por isso, que um vai sendo instrumento de tratamento de temperamento, caráter etc. Com o tempo, você aprende com Lutero, “O casamento é a maior escola de santidade”, ou com Martin Luther King Jr, “nós não somos o que gostaríamos de ser; nós não somos quem iremos ser; mas graças a Deus já não somos quem nós éramos”. Nossos relacionamentos nos transformam e, se eles são saudáveis, tornamo-nos pessoas melhores.

Tome cuidado

Cuidado com as coisas que você diz, cuidado com os assuntos que trata com outras pessoas, cuidado com a confiança depositada em pessoas que, por mais confiáveis que pareçam, não são pessoas que amam o casal e querem o bem dos dois. Tome cuidado com pessoas que em algum momento da história do casal já apresentaram segundas intenções em relação a vocês, individualmente. Quanto maior o cuidado, a preservação, a diminuição de conflitos, maior a convivência e qualidade do casal. Tome cuidado com briguinhas que não precisam existir, algumas delas podem ter efeitos maiores que os esperados.

Conserve a alegria

Sim, conserve as piadinhas, os apelidinhos, os carinhos particulares (que só um sabe que o outro gosta). São dois problemas, um quando o carinho particular se populariza e não é mais tão particular; e outro quando eles são tão particulares que não rolam mais. Perdeu-se o romantismo, o desejo de estar perto, o desejo de estar juntos etc. Tome cuidado, se não estou errado, isso pode atrapalhar e muito.

Tome cuidado com a vida virtual

As redes sociais não são o mundo real. As redes sociais minam o tempo de qualidade, o olho no olho, o segurar na mão, o sorriso de canto de boca, o olhar provocativo etc. Isso mantém o namoro saudável, a paixão dos primeiros dias, o desejo de estar junto e perto. A vida social aparenta trazer grandes amigos que ainda não conhecemos, eles têm o seu valor. Mas gente que a gente pode sentir o cheiro, abraçar apertado, chorar junto, é quem nós deveríamos mesmo valorizar.

Cuidado com o anseio pelo casamento

Casamento, ao contrário do que muitos pensam por aí, é para vida inteira. O namoro é época de namorar, conhecer, experimentar a convivência, o afeto, o aconchego. Casamento é outra etapa, que, aliás, a gente pode aprender bastante com o “casal do blog“. Mas namore, conheça, pondere, tenha convicções, sonhem juntos, perceba se os sonhos coincidem e depois sonhe com o casamento. Conheço um tanto considerável de casais que terminaram pela pressão que foi posta sobre seus ombros. Conheço outro tanto de casais que têm de vivenciar o namoro depois de casados pela pressa de um compromisso. Casamento é para vida inteira, e o namoro é a etapa de construção dessa vida juntos.

Assim, não venho compartilhar certezas ou verdades absolutas, mas apontar somente algumas considerações que me ajudam no dia a dia e na vivência do meu relacionamento. Espero ter te ajudado a regar o seu amor, e que essa decisão de regá-lo se renove em seu coração todos os dias. E vamos juntos.

Em amor e pelo amor.